NATHALIA JAHN

Uma mistura de ares franceses com um toque de brasilidade. Esse é o resultado da refinada e irreverente mistura da cozinha da chef Nathalia Jahn, que produz gastronomia unindo técnicas da culinária francesa com inusitados ingredientes brasileiros. Para dar vida a essas delícias, Nathalia Jahn largou o sonho de seguir carreira médica e iniciou os estudos de gastronomia em Porto Alegre em 2006 e depois foi estudar na França.

Em Biarritz, no sul do país europeu, trabalhou no famoso hotel Le Caritz. Seguiu viajando pelo Brasil e Europa, aprendeu e ganhou experiência ao lado de chefs renomados como Marcello Guzzo, Fabrice Lenud, Diego Lozano. Sua formação foi completada com ajuda de Alex Atala, Claude Troisgros, Aires Scavone e Moisés Basso.

Graças a essas vivências, a chef gaúcha ficou ainda mais apaixonada por doces artísticos, fazendo desabrochar seu gosto pela precisão, dedicação, paciência e riqueza de detalhes à confeitaria. De volta a Porto Alegre após esse rico período de aprendizado, Nathalia Jahn começou sua carreira solo preparando mesas de doces e coquetéis para eventos, especialmente no modelo “finger food”. E com a experiência adquirida, acabou percebendo a necessidade de criar uma gastronomia que tivesse o seu jeito que fugissem um pouco do convencional.
Foi assim que surgiu a ideia de unir as técnicas clássicas da cozinha francesa com ingredientes brasileiros como cumaru, puxuri, cajá, maracujá, banana, manga, amburana, fava de aridan, iquiriba, dentre outros.

Pura alquimia! Seja um casamento, uma aula, um pocket show, um menu degustação, cada evento é aliado a uma produção contemporânea, inovadora e um serviço impecável com mâitres e garçons treinados, transformando o evento em um acontecimento único e inesquecível.

UMA MISTURA DA FRANÇA COM O BRASIL

Nossos ingredientes

Cumaru

Planta típica da região Amazônica, o cumaru é muito usado pelas indústrias de móveis e de cosméticos. Mas sua semente, também conhecida como fava ou tonka beans, vem ganhando espaço na culinária.

Puxuri

A semente de pixuri (Licaria puchury-major) é uma planta nativa da região amazônica, que apresenta compostos bioativos importantes para a redução do risco de câncer.

Cajá

O cajá é uma fruta rica em sais minerais, tais como o fósforo, o ferro e o cálcio. É também uma grande fonte de vitaminas A, B e C. Sendo uma fruta ácida, em geral não é consumido ao natural. Pode também ser bebido como suco, ou consumido em forma de sorvete, geleias, vinhos, licores, refrescos, polpas e também como caipirinha.

Amburana

Também é conhecida como cumaré, umburana, amburana-de-cheiro, emburana, cerejeira-rajada, cumaru das caatingas. A casca e a semente têm ações anti-inflamatória e analgésica, no caso das sementes elas são levemente amassadas para que solte as propriedades com mais facilidade.

Cupuaçu

Cupuaçu é o fruto de uma árvore originária da Amazônia, parente próxima do cacaueiro. A árvore é conhecida como cupuaçuzeiro, cupuaçueiro ou cupu, é uma fruta extremamente saborosa típica da região norte brasileira, muito encontrada nos estados do Amapá, Pará e Amazonas.

Iquiriba

É um fruto de aroma semelhante ao do gengibre, com gosto picante, almiscarado, utilizado como condimento e medicamento, com sementes aromáticas e também picantes, utilizadas por sua vez como substituta da pimenta-do-reino.

Fava de aridan

Aridan, àrìdan ou aridam é uma arvore de origem africana, cultivada no Brasil. A Fava de Aridan é um fruto sagrado presente em vários rituais religiosos.
X
WhatsApp chat